Secure Shell, mais conhecido por SSH, é um protocolo que possibilita o acesso virtual aos seus servidores, como se estivesse em um terminal. Você pode imaginar como no prompt do DOS, por exemplo, ou considera-lo como um computador controlando outro.

Logo após o surgimento da rede de computadores, diversos métodos de acesso a máquinas e troca de arquivos entre computadores surgiram em conjunto. Assim, os administradores conseguiam controlar diversas máquinas interligadas à rede de maneira remota.

Assim, o protocolo mais tradicional era o Telnet, o qual permitia a comunicação interativa entre máquinas-cliente e o servidor. Porém, como a comunicação se dava através de texto puro (sem criptografia), usuários mal-intencionados poderiam interceptar a conexão e obter acesso a todas as informações ali presentes.

Dessa forma, a maior diferença entre o Telnet e o SSH está na segurança. Toda a transmissão de dados através do SSH é feita de maneira criptografada, a fim de minimizar os riscos. Além do mais, tudo o que você fizer no Telnet pode ser feito através do SSH.

Ao conectar o seu servidor a partir de um terminal remoto, você o controlará a partir do seu sistema operacional. Qualquer comando digitado será executado no servidor (e não na sua máquina) para que você opere de acordo com os parâmetros de comandos dados por ele.

Para realizar o acesso é necessário utilizar um programa que se conecte à porta 22, como o Putty – por exemplo.