Ao utilizar um site na internet, o conteúdo dele é baixado pro seu computador mesmo que temporariamente. Para isso, os desenvolvedores hospedam o conteúdo em um lugar específico. Isto faz com que as informações sejam enviadas para a sua máquina e tudo funcione corretamente.

Esse conteúdo, porém, não é armazenado em um único lugar. É criado uma espécie de teia de dispositivos que trabalham em conjunto a fim de regionalizar cada um dos dados armazenados. Sobretudo, serve para facilitar o acesso a eles de computadores localizados em diversas partes do mundo.

É exatamente para isso que existe uma CDN (Content Delivery Network, em inglês). E isso nada mais é do que uma rede de distribuição de conteúdo. Várias empresas oferecem esse serviço para grandes sites a fim de garantir a agilidade na entrega do produto.

Para oferecer agilidade e – mais importante que isso – estabilidade no serviço é que existem CDN. Elas são redes não centralizadas encontradas em um único servidor. Hospedam um determinado conteúdo em servidores espalhados em vários locais. É então o que permite a distribuição do conteúdo de forma eficaz, independente de onde é acessado.

Se você imaginar o tamanho da internet hoje, pode pensar que os conteúdos são distribuídos para bilhões de dispositivos. O Google é um exemplo clássico que trabalha com bilhões de acessos a todo momento. É provável que ele seja capaz de derrubar qualquer servidor se esse trabalhar sozinho.

Simplificando: é possível acessar a rede a partir do nosso país, recebendo imagens, textos e códigos, a partir de um servidor vizinho. Há quem o faça também através da Índia, Rússia ou Canadá.

Com o uso da CDN é possível distribuir o conteúdo de forma mais eficiente diminuir a latência no processo de transfusão de dados. Apesar da diferença de conexão entre uma região e outra, o desempenho do processo é parecido devido ao uso das redes de distribuição.

Ao fim, o que acontece é que o conteúdo sairá do servidor original e será alocado em diversos outros locais do mundo conforme a demanda necessária. Assim, a CDN otimizará as rotas, encontrando a mais curta entre a origem e destino, para que sua experiência no acesso seja otimizada. Sem essa tecnologia, o acesso a serviços como o YouTube e sistema de armazenamento em nuvem seria inviável.